sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Organiza o natal


Cartazes produzidos pelos alunoos da professora Rosane



Organiza o Natal

Carlos Drummond de Andrade

Alguém observou que cada vez mais o ano se compõe de 10 meses; imperfeitamente embora, o resto é Natal. É possível que, com o tempo, essa divisão se inverta: 10 meses de Natal e 2 meses de ano vulgarmente dito. E não parece absurdo imaginar que, pelo desenvolvimento da linha, e pela melhoria do homem, o ano inteiro se converta em Natal, abolindo-se a era civil, com suas obrigações enfadonhas ou malignas. Será bom.





Então nos amaremos e nos desejaremos felicidades ininterruptamente, de manhã à noite, de uma rua a outra, de continente a continente, de cortina de ferro à cortina de nylon — sem cortinas. Governo e oposição, neutros, super e subdesenvolvidos, marcianos, bichos, plantas entrarão em regime de fraternidade. Os objetos se impregnarão de espírito natalino, e veremos o desenho animado, reino da crueldade, transposto para o reino do amor: a máquina de lavar roupa abraçada ao flamboyant, núpcias da flauta e do ovo, a betoneira com o sagüi ou com o vestido de baile. E o supra-realismo, justificado espiritualmente, será uma chave para o mundo.




Completado o ciclo histórico, os bens serão repartidos por si mesmos entre nossos irmãos, isto é, com todos os viventes e elementos da terra, água, ar e alma. Não haverá mais cartas de cobrança, de descompostura nem de suicídio. O correio só transportará correspondência gentil, de preferência postais de Chagall, em que noivos e burrinhos circulam na atmosfera, pastando flores; toda pintura, inclusive o borrão, estará a serviço do entendimento afetuoso. A crítica de arte se dissolverá jovialmente, a menos que prefira tomar a forma de um sininho cristalino, a badalar sem erudição nem pretensão, celebrando o Advento.



A poesia escrita se identificará com o perfume das moitas antes do amanhecer, despojando-se do uso do som. Para que livros? perguntará um anjo e, sorrindo, mostrará a terra impressa com as tintas do sol e das galáxias, aberta à maneira de um livro.




A música permanecerá a mesma, tal qual Palestrina e Mozart a deixaram; equívocos e divertimentos musicais serão arquivados, sem humilhação para ninguém.


Com economia para os povos desaparecerão suavemente classes armadas e semi-armadas, repartições arrecadadoras, polícia e fiscais de toda espécie. Uma palavra será descoberta no dicionário: paz.




O trabalho deixará de ser imposição para constituir o sentido natural da vida, sob a jurisdição desses incansáveis trabalhadores, que são os lírios do campo. Salário de cada um: a alegria que tiver merecido. Nem juntas de conciliação nem tribunais de justiça, pois tudo estará conciliado na ordem do amor.




Todo mundo se rirá do dinheiro e das arcas que o guardavam, e que passarão a depósito de doces, para visitas. Haverá dois jardins para cada habitante, um exterior, outro interior, comunicando-se por um atalho invisível.



A morte não será procurada nem esquivada, e o homem compreenderá a existência da noite, como já compreendera a da manhã.



O mundo será administrado exclusivamente pelas crianças, e elas farão o que bem entenderem das restantes instituições caducas, a Universidade inclusive.


E será Natal para sempre.
Enfeites de natal criados pelos alunos com material reciclado

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

III Feira do Livro

Alunos na Feira do Livro



III Feira do Livro da E. M. E. F. Morro da Cruz


Semana passada realizamos a III Feira do livro com a seguinte programação:

07/12- Apresentação do Livro "A caligrafia de Dona Sofia" de André Neves pelos contadores de história.

08/12 - Sarau de poesia com a apresentação dos poemas escritos pelos alunos do 3° ciclo na oficina de poesia do sábado da Consciência Negra.

10/12 - Sala de leitura e de divulgação dos livros novos adquiridos pela Escola.

10 e 11/12 - Feira de Livros.



Monitores da biblioteca na Feira do Livro

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

João Cândido- 100 anos da revolta da Chibata

Marinheiros durante a Revolta da Chibata, com João Cândido ao centro, em 1910.



Lembramos que neste ano a Revolta da Chibata completou 100 anos, e na biblioteca para marcar esta data, apresentamos o vídeo documentário "João Cândido - A luta pelos Direitos Humanos" de Tânia Quaresma do "Projeto Memória João Cândido", realizamos este trabalho com diversas turmas do III.

O vídeo-documentário retiramos do site: http://www.projetomemoria.art.br/

Utilizamos também a música " O mestre sala dos mares" de Aldir Blanc e João Bosco, na voz de Elis Regina, para ressaltar a importância do "Almirante Negro", o marinheiro João Cândido Felisberto (1880- 1969). João Cândido foi um dos principais líderes desta rebelião, ainda pouco conhecida no Brasil.


Na biblioteca contamos com 2 livros sobre João Cândido: "João Cândido" de Paulo Ricardo de Moraes e " O negro da Chibata" de Fernando Granato. Na revista de História da Biblioteca Nacional, encaminhado pelo FNBE/periódico/fevereiro/2010, também encontramos informações inéditas sobre a Revolta da Chibata.


Para saber mais:
http://www.projetomemoria.art.br/

Heróis de todo mundo - Pixinguinha



Em novembro trabalhamos com a temática da Consciência Negra, realizamos atividades com os alunos, expomos materiais e disponibilizando o acervo da biblioteca para os professores e alunos acerca deste tema.

Apresentamos para os alunos o livro "História da Música popular brasileira para crianças" de Simone Cit e Iara Teixeira, deste livro contamos a história de Pixinguinha que foi um excelente maestro, compositor, arranjador, músico e acima de tudo um grande artista que conseguiu ampliar o espaço do negro na nossa sociedade.
"Eu cheguei e fui escurecendo o rádio" (Pixinguinha)


Os alunos assistiram um vídeo que nos contou um pouco mais da história deste artista maravilhoso, este material retiramos do DVD- Escola do MEC, " Heróis de todo Mundo - A cor da cultura".

Depois na sequência apresentamos aos alunos uma música de Pixinguinha e escolhemos aquela que quase todos os brasileiros conhecem e tem em sua memória musical "Carinhoso".

Retirado do livro: História da Música popular Brasileira para crianças

Ah! Não podemos esquecer que a Escola ofereceu este ano oficina de flauta doce para nossos alunos e o nosso monitor Lucas participou dessas aulas feliz da vida.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Eleição de Diretores na Escola Morro da Cruz

Apresentação das propostas das chapas concorrentes para a direção da Escola

Gestão Democrática


Pais, alunos, funcionários, professores e comunidade acabaram de participar do rico processo democrático para a escolha da nova direção da Escola. A Escola já dispõe de Conselho escolar e Grêmio estudantil e realiza eleições para a direção a cada 3 anos.
Este ano não poderia ser diferente, a comunidade escolar se envolveu ativamente na discussão e no processo eleitoral, propondo e debatendo propostas para a nova administração.

Queremos salientar o compromisso que a atual gestão teve na condução da Escola e sabemos que o mesmo ocorrerá com a direção que acabou de ser eleita.
Acreditamos que todo o processo eleitoral contribui imensamente para que todos aprendam a viver em uma sociedade democrática e participativa.



Reunião com os alunos

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Oficina de poesia no Morro da Cruz


Alunos na oficina de poesia

No último sábado integrador da Escola (20/11), a temática da amostra de trabalhos e das oficinas foi o da "Consciência Negra". Entre as diversas oficinas que aconteceram, ressaltaremos nesta postagem, a oficina de Poesia com o Professor Manuel.

Os alunos amam poesia e a escolha que o professor fez para iniciar o encontro com o grupo do III ciclo foi excelente, os versos do nosso poeta (gaúcho) Oliveira Silveira.

____________________________________________

Oliveira, na década 70, participando do movimento negro, em Porto Alegre, apontou o absurdo que era comemorar o dia 13 de maio, como o dia da libertação dos escravos e de esquecermos toda a luta e resistência dos negros neste período da história brasileira. A partir disto, iniciou-se um movimento de suma importância para o resgate da história do povo negro em nosso país.
Hoje, todos (quase todos) já ouviram falar dos Quilombos e de um dos seus principais líderes: Zumbi dos Palmares. Oliveira Silveira propôs que o dia 20 de novembro (data da morte de Zumbi), fosse a data da Consciência Negra.


Salve, Oliveira Silveira!
Poetas assim fazem muita diferença no mundo.

Encontrei minhas origens

Oliveira Silveira

Encontrei minhas origens
Em velhos arquivos
Livros

Encontrei
Em malditos objetos
Troncos e grilhetas

Encontrei minhas origens
No leste
No mar em imundos tumbeiros

Encontrei
Em doces palavras
Cantos

Em furiosos tambores
Ritos

Encontrei minhas origens
Na cor de minha pele
Nos lanhos de minha alma

Em mim
Em minha gente escura
Em meus heróis altivos

Encontrei
Encontrei-as, enfim
Me encontrei.
____________________________________________


Mas para saber como esta história (ou melhor esta oficina) termina entre no blog do professor Manuel:

http://noslemosporai.blogspot.com/2010/11/poema-negro-no-morro.html

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Dia Nacional do Samba

Patrimônio Imaterial da Humanidade desde 2005 e Patrimônio Cultural do Brasil desde 2007 , o Samba é o nosso gênero musical por excelência. Filho da riqueza africana em solo brasileiro, traz em seu cerne a nossa própria história. Em nosso cerne contamos a sua história, também.
Como definir essa grandeza? Basta escutar. Basta sentir, basta vivenciar o prazer de uma boa batucada. Nas palavras de Caetano Velloso, que não é um sambista de raiz, mas grande poeta e compositor, encontramos coisas lindas...

Desde que o samba é samba

A tristeza é senhora, desde que o samba é samba é assim
A lágrima clara sobre a pele escura, a noite, a chuva que cai lá fora
Solidão apavora, tudo demorando em ser tão ruim
Mas alguma coisa acontece no quando agora em mim
Cantando eu mando a tristeza embora
O samba ainda vai nascer, o samba ainda não chegou
O samba não vai morrer, veja o dia ainda não raiou
O samba é o pai do prazer, o samba é o filho da dor
O grande poder transformador.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Projeto mais educação - Grafite






Não podemos deixar de mostrar a linda grafitagem que os alunos: Douglas, William, Ederson, João e Carla do III ciclo realizaram com a orientação do professor Cristiano.
Inclusive queremos dizer que gostamos bastante do fundo desta grafitagem. O cenário em que o menino aparece é a representação da nossa biblioteca (inclusive com detalhes das caixas embaixo das prateleiras como é na nossa biblioteca). Muito legal!!!

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Adote um escritor Celso Sisto

Pela riqueza do material produzido na Escola, tiramos algumas fotos e montamos o vídeo abaixo para socializar o trabalho realizado no Programa de leitura Adote um escritor deste ano.
Já sei faltou material, mas vale a pena dar uma olhada e ver o envolvimento de todos (professores, alunos e comunidade) no programa de leitura.


video

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Autor Celso Sisto visita a Escola

A Escola vem participando desde 2004, do programa de leitura Adote um Escritor, e por conta disso, recebeu neste último dia 23, a visita do escritor Celso Sisto. Alunos, professores e comunidade conheceram, planejaram e trabalharam ao longo deste 2º semestre as obras do escritor.




O grupo de contadores de história da Escola, apresentaram nas turmas do I e II ciclo os seguintes livros do escritor: “O Vestido”, “Beijo de Sol”, “Mas, eu não sou lobisomem”, “Eles que não se amavam” e do livro “Mãe África” o conto “A origem da morte”.

O encontro com o escritor envolveu toda a comunidade escolar (funcionários, alunos, pais e professores), e em um primeiro momento houve uma apresentação de flautas dos alunos de música com a professora Suzete.


Logo depois Celso Sisto foi acolhido e apresentado à todos pelos contadores de história, estes alunos estavam caracterizados com algumas das personagens dos livros do autor, como por exemplo, São Pedro (representando o livro “Pedro, meu bom Pedro”), Rebeca ( do livro “Rebeca e sua Rabeca””), Duas noivas (do livro “O vestido”), um menino com seu cavalo de pau (do livro “Cavaleiro andante”) e pessoas com indumentárias representando o povo africano (do livro “Mãe África”).

Celso Sisto, no encontro nos presenteou com uma divertida história “O macaco e a velha”, realizou uma conversa com a plateia respondendo perguntas e depois realizou a leitura de um dos seus livros o “Chá das dez”.



Finalizamos o encontro na biblioteca, onde os professores realizaram um bate-papo com o escritor.


Mais uma vez, a Escola conseguiu realizar uma excelente mobilização em relação ao programa de Leitura Adote um Escritor, envolvendo os diversos segmentos da Escola e todos os ciclos nas atividades de leitura e na produção de material a partir dos textos trabalhados.

Mas o trabalho com o programa de leitura Adote um Escritor ainda não se encerrou, na biblioteca, esta semana estamos apresentando o Livro “O casamento da princesa” de Celso Sisto, (lembrando aos alunos que está sendo grafitado uma parede com uma cena da história). Estamos também conversando sobre os livros e trabalhos realizados com as turmas, buscando socializar a riqueza do que foi produzido por toda escola, a partir do estudo da obra do escritor adotado.


quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Eu vou dançar ciranda e te convido pra chegar...

... vem, entra na roda, que é pro mundo melhorar!
Num momento como este é que sentimos mais fortemente a importância da parceria, por isso, quero agradecer a todos que realmente ajudaram para essa conquista. Ninguém é algo sozinho. Se não fossem os nossos alunos músicos, por exemplo, como essa canção aconteceria, já que a Música é uma Arte efêmera por natureza? Se ela só existe no momento da sua execução, aí está! Foram lá e defenderam na raça e na coragem a nossa canção. Espero contar sempre com estes apoios, e ter a certeza que a sensibilidade permaneça nos corações para que possamos continuar, mesmo que alguns não queiram.
Lembro das palavras do nosso grande poeta Mário Quintana: "Esses que aí estão atravancando o meu caminho, eles passarão, e eu, passarinho..."
Vamos lá, queridos alunos e colegas, o caminho é este. Vamos cantar como passarinhos a beleza das coisas boas da vida. Um grande beijo a todos.
Ah, fiz até um blog novo pra comemorar, lá estão as fotos do festival - visitem, por favor:
http://sorasusi.blogspot.com

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Alunos da Escola ganham troféu em festival de música

Parabéns aos nossos músicos!
Foi linda a apresentação e a participação no Festival.








Apresentação dos alunos na Escola com a música "Ciranda da Vida"



No último dia 22, nossa Escola e mais 20 escolas finalistas participaram do 6º Festival de Música do Coep/RS (Comitê de Entidades Públicas no Combate à Fome e pela Vida), que teve com tema “Os 8 jeitos de mudar o mundo”, isto aconteceu no teatro Dante Barone, da Assembléia Legislativa.

A nossa Escola era uma das finalistas e levou o troféu de 2ª colocada no geral e melhor letra com a música “Ciranda da Vida” em estilo folclórico.





Para ler mais acesse o link:

http://www2.portoalegre.rs.gov.br/smed/default.php?p_noticia=134357

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Alunos da Escola Morro da Cruz foram selecionados e participam do festival de música

Alunos gravando a música para participar do Coep/RS

Estamos orgulhos pela participação dos nosso alunos (as) no festival de Música do Coep/RS, e apesar de todas as dificuldades encontradas, hoje é um dia especial para o grupo coordenado pela professora Suzete, eles irão apresentar a música "Ciranda da Vida". As escolas municipais selecionadas para a disputa final são: Pepita de Leão, Vila Monte Cristo e a nossa.
Boa Sorte! Vocês já são vitoriosos!

" Às 14h da sexta-feira, 22, alunos de três escolas da rede municipal de ensino classificados para o 6º Festival de Música do Coep/RS (Comitê de Entidades Públicas no Combate à Fome e pela Vida) estarão no palco do Teatro Dante Barone para participar da etapa final do concurso voltado para estudantes do ensino fundamental de escolas públicas e privadas, criando músicas e letras com o tema “Os jovens e os 8 Objetivos do Milênio”

(...)
Já a Morro da Cruz participará do festival com 16 jovens, com idades entre 11 e 15 anos, que irão interpretar a música ‘Ciranda da Vida’, no estilo folclórico. Dessas, sete cantarão e as demais farão o acompanhamento com percussão e violão. “A ideia de trabalharmos uma música com estilo folclórico nasceu em função da exploração do tema do Dia do Folclore, em 22 de agosto, quando conhecemos e recordamos várias cantigas de roda. Por ser uma manifestação genuinamente popular, usaremos como percussão instrumentos de uso diário, como, por exemplo, tábua de lavar roupa e panela”, explica a maestrina Suzete Wortmann Rocha, da Morro da Cruz." (Retirado do site da SMED)


Para ler mais entre no site:

http://www2.portoalegre.rs.gov.br/smed/default.php?p_noticia=134271

terça-feira, 5 de outubro de 2010

É primavera na Escola...





A professora Cristina de artes confeccionou com seus alunos flores e borboletas com material de sucata, encontramos alguns trabalhos dos alunos na biblioteca, assim aproveitamos para darmos boas-vindas à primavera.


Recebemos este ano do MEC/PNLD/FNDE, um acervo de obras de excelente qualidade que estão disponíveis aos alunos de todos os ciclos na biblioteca da Escola. Essas obras são diversificadas do ponto de vista temático e de gênero, possibilitando aos alunos contato com um universo rico de referências culturais, e ao mesmo tempo, contribui com a transversalidade entre as diferentes áreas de conhecimento.

Entre muitas obras do acervo recebido, por falarmos em primavera ( e natureza) resolvemos apresentar algumas relacionadas a essa temática:

"Os amigos das flores" e a "Reprodução das borboletas" de Neide Simões de Mattos e Suzana Granato.
"Rimas da floresta" de José Santos.
"Aves" de Gusthavo Sezerban.
"Boniteza silvestre: poesia para os animais ameaçados pelo homem" de Lalau.
"Esta é minha casa" de Ana Maria Machado.
"Rápido como um gafanhoto" de Audrey Wood.
"Formiga amiga" de Bartolomeu Campos Queirós.

Quero falar de um livro que fiquei muito encantada com o desenrolar da história: "O urso que queria ser pai" de Wolf Erlbruch. Já apresentei este livro para turmas com idades diferenciadas, e o texto gera em todos muito interesse e apreciação, pois nesta obra o leitor acompanha a trajetória de um urso que queria ser pai e não sabe como fazer para conseguir atingir o objetivo, levando-o a questionar e buscar respostas com outros personagens da história. Quem trabalha com criança sabe como é importante termos livros que nos permitem trabalhar com questões de sexualidade de forma criativa, inteligente e adequadas ao que as crianças querem saber.



quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Folclore

Pesquisa sobre o folclore realizada pela turma B35 - Profª Ana Maria

Sacis confeccionados pela turma B35

Boitatás trabalho realizado com a turma B35

Personagens do folclore brasileiro em massinha de modelar
Turma B11- Professora Ida

No mês de agosto, apresentamos na biblioteca o livro “O mais legal do folclore” de Luciana Garcia.

O livro apresenta uma estória divertida, com informações de 14 personagens do folclore brasileiro e a ilustração é de excelente qualidade.




quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Programa de Leitura Adote um Escritor



Este ano a Escola receberá a visita do escritor Celso Sisto, no dia 23 de outubro, dentro do Programa de Leitura Adote um Escritor.

Celso Sisto - Biografia (resumida)

Celso Sisto é escritor, ilustrador, contador de histórias do grupo Morandubetá (RJ), ator, arte-educador, crítico de literatura infantil e juvenil, especialista em literatura infantil e juvenil, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Mestre em Literatura Brasileira pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Doutorando em Teoria da Literatura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS) e responsável pela formação de inúmeros grupos de contadores de histórias espalhados pelo país. Tem mais de 40 livros publicados para crianças e jovens e já recebeu vários prêmios pela qualidade de sua obra, dentre eles o prêmio de autor revelação (FNLIJ, 1994) e ilustrador revelação (FNLIJ, 1999).

Alguns livros do Escritor Celso Sisto já estão disponíveis na biblioteca para empréstimo e para realização do trabalho de Programa de Leitura Adote um Escritor.


Livros do autor disponíveis na biblioteca:
Angelina
Beijo de Sol
Cruz-credo!
Eles que não se amavam
Emburrado!
Lebre que é lebre não mia
Mas eu não sou lobisomem
Mãe África
Mundaréu
O casamento da princesa
O Cavaleiro Andante
O Cheiro da Lembrança
O vestido
Pedro, meu bom Pedro
Rebeca e sua rabeca
Tininha Cereja
Ururau, praga e pica-pau

quarta-feira, 22 de setembro de 2010


13/09/2010

Grupo de Flautas da Escola Morro da Cruz.
Foto: Tiago Nequesaurt/PMPA

A escola foi notícia na página da SMED sobre a promoção da Caminhada da Paz.
A caminhada como explica o texto no site da SMED, aconteceria no dia 11/09, em caso de chuva seria transferida, como choveu neste dia, o evento ocorreu no dia 16/09.

http://www2.portoalegre.rs.gov.br/smed/default.php?p_noticia=132112