quarta-feira, 30 de julho de 2008

Lembrando Mário...

Encontrei essa homenagem ao nosso grande poeta e compartilho com todos ... http://youtube.com/watch?v=QmkF-6ujW7Y
Uma boa notícia:

Música: conteúdo obrigatório

No dia 25 de junho, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou em caráter conclusivo projeto de lei do Senado que altera a Lei de Diretrizes Básicas da Educação (LDBEN). A mudança propõe música como conteúdo obrigatório (não exclusivo) na grade curricular dentro do ensino das artes para a Educação Básica. O projeto é de autoria da senadora Roseana Sarney (PMDB-MA) e já foi aprovado pelo Senado. Se não houver recurso, o projeto segue para avaliação do presidente. As escolas terão até três anos letivos para se adaptar às novas regras. Também estabelece que a disciplina de música deverá ser ministrada por professores com formação específica na área.
Fonte: Jornal Extra-Classe do Simpro/RS, ed. 125 de julho/2008



Nos anos 40 o grande Heitor Villa-Lobos, ao regressar de uma temporada em Paris foi convidado por Getúlio Vargas para ocupar o cargo de Secretário da Educação Musical (sim, havia uma secretaria de estado só para a Música!!!!) no Rio de Janeiro. Lá, ele estipulou a obrigatoriedade do ensino de Música nas escolas. Inteligentemente, chamava professores de escolas públicas de todo o Brasil, promovendo cursos de habilitação e qualificação, fazendo com que cada profissional fosse um multiplicador em sua escola de atuação. Nos anos 60 este processo foi sumariamente interrompido e, como outras disciplinas, o ensino da Música deixou de ser obrigatório, sendo automaticamente elitizado. Agora, após tantos anos, por iniciativa de nomes como: Daniela Mercury, Frejat, Gabriel O Pensador e Francis Hime, entre outros, mais o cantor e deputado Frank Aguiar (Relator da proposta na Comissão de Educação e Cultura da Câmara) e a Senadora Roseana Sarney, vemos, embora atrasado, um final feliz. Ou, sob outro ponto de vista, um novo recomeço. Que sejam sinais de novos tempos, com mais alegria, harmonia e desenvolvimento.
Susi

terça-feira, 29 de julho de 2008

30 de julho aniversário do poeta

O nome da nossa biblioteca é uma homenagem ao Mario Quintana.
Mário de Miranda Quintana foi um poeta, tradutor e jornalista brasileiro. Nasceu em Alegrete na noite de 30 de julho de 1906 e faleceu em Porto Alegre, em 5 de maio de 1994.
"O tempo não pára! Só a saudade é que faz as coisas pararem no tempo..."
"Quando eu for, um dia desses,
Poeira ou folha levada
No vento da madrugada,
Serei um pouco do nada
Invisível, delicioso (...)"
Mario Quintana


Celso Gutfreind e Mario Quintana

Quem nos acompanhará no programa de Leitura Adote um Escritor, este ano na Escola, é o autor Celso Gutfreind.
Selecionamos um texto do Celso, onde ele nos conta o seu prazer em ler Mario Quintana e como aconteceu os seus dois encontros com o poeta.
O texto do Celso, ainda nos lembra que, ler e escrever, tem o poder mágico de nos confortar e nos dar esperança: "...a poesia pode ser o milagre de uma palavra encantada no meio do desespero."


NA BATALHA DAS LETRAS

Celso Gutfreind
Poeta e psiquiatra gaúcho.


Publicado no Jornal Zero Hora, Porto Alegre/RS - Segundo Caderno, de 19-04-2006, em comemoração ao centenário de Mario Quintana.

Foi na adolescência que comecei a ler Mario Quintana. Já ali fiquei impressionado com seu Esconderijos do Tempo; em seguida, procurei outros lugares de sua obra e, ainda ali, um resquício de criança vibrou escondido com o doutor Queijando e com letras que eram como pessoas. Poucos anos depois, a vida me botou na frente dele. O jornalista Sérgio Saraiva chamou dois autores jovens, Ricardo Portugal e eu, para entrevistarem o poeta. Ele completava oitenta anos, enquanto mal tínhamos saído dos vinte. Ouviu atentamente as perguntas, respondeu. com piedade e humor; ao final, chamou-nos de vergonhosamente jovens. Bem feito para nós, que nos metíamos com o ritmo da experiência. Pior para ele que, dias depois, precisou consultar na emergência do Hospital Pronto Socorro, onde eu atendia como estagiário. O feitiço do aprendiz voltava-se contra o aprendiz de feiticeiro. Ele acusou o golpe ao me reconhecer: - Mas é o vergonhoso... Depois agüentou o tirão como quem aceita a pesada moeda, não da poesia como cantava, mas da vida como vivia. Era madrugada naquele canto insone da cidade. Supliquei a um colega de plantão que atendesse a um travesti esfaqueado e fui me ocupar do poeta. Seu nariz sangrava por causa de uma pressão alta. Mediquei-o, a pressão cedeu, mas o que mais lhe interessou foi o prontuário que eu preenchia para mostrar ao médico-chefe. Pediu licença para ler e encarou as palavras epistaxe hipertensiva. Ignorou o hipertensiva, mas se agarrou à epistaxe como quem encontra um tesouro. Contou algumas histórias, conversou novamente com piedade e humor. Mas não perdeu o brilho nos olhos, diante da palavra, ao longo daquela madrugada violenta do Pronto Socorro.

Em seu Caderno H e espalhado em outros livros, há muitos poemas sobre a própria poesia. São de alto nível, mas nada mais alto do que me ensinou, sem dizer nada, na noite cheia de feridos e solitários: a poesia pode ser o milagre de uma palavra encantada no meio do desespero. E eu, espécie de doutor Queijando vergonhosamente jovem, aprendi a graça de que as letras podem ser mais ritmadas do que a vida e a morte das pessoas.

"Há bens inalienáveis, há certos momentos que, ao contrário do que pensas, fazem parte de sua vida presente e não do teu passado. E abrem-se no teu sorriso mesmo quando, deslembrado deles, estiveres sorrindo a outras coisas".

Ah, nem queiras saber o quanto deves à ingrata criatura...
A thing of beauty is a joy for ever - disse há cento e muitos anos, um poeta inglês que não conseguiu morrer.




sábado, 26 de julho de 2008

Anistia de João Cândido (Nossa Homenagem)

Quando li a notícia da anistia de João Cândido, lembrei emocionada do trabalho que a professora Heloísa sugeriu para as B10s. E como foi fácil, trabalhar com as crianças, a história do marujo gaúcho, que se rebelou contra os castigos físicos, em que os marinheiros eram infligidos.
Estávamos trabalhando com a temática da Consciência Negra, as turmas adoraram a música cantada por Elis Regina "O mestre-sala dos mares". Os alunos receberam as duas letras para serem comentadas e comparadas: a original (que foi proibida pelo governo militar) e a letra abaixo ( a conhecida por todos nós).
Em 2007, nossa homenagem foi realizada, resgatando a história da "Revolta da Chibata",com nossas turmas. (foto: apresentação das turmas com a música/2007)
Hoje, queremos lembrar do Mestre João Cândido, que no início do século passado, se rebelou contra a injustiça e o racismo em nosso país. Ele passou por muitas etapas de sofrimento: prisão, tortura, internação psiquiátrica, miséria, etc... E finalmente está semana, foi assinada a sua anistia, pelo Presidente Lula.
O Mestre-Sala dos mares
Composição: João Bosco/Aldir Blanc

Há muito tempo nas águas da Guanabara
O dragão do mar reapareceu
Na figura de um bravo feiticeiro
A quem a história não esqueceu
Conhecido como o navegante negro
Tinha a dignidade de um mestre-sala
E ao acenar pelo mar na alegria das regatas
Foi saudado no porto pelas mocinhas francesas
Jovens polacas e por batalhões de mulatas
Rubras cascatas
Jorravam das costas dos santos entre cantos e chibatas
Inundando o coração do pessoal do porão
Que, a exemplo do feiticeiro, gritava então
Glória aos piratas
Às mulatas, às sereias Glória à farofa
à cachaça, às baleias
Glória a todas as lutas inglórias
Que através da nossa história não esquecemos jamais
Salve o navegante negro
Que tem por monumento as pedras pisadas do cai
Mas salve
Salve o navegante negro
Que tem por monumento as pedras pisadas do cais
Mas faz muito tempo...

sexta-feira, 25 de julho de 2008

Para assistir nos cinemas com nossos/as pequenos/as:
O conto "As façanhas de Zé Burraldo", de Ricardo Azevedo, que faz parte do livro " Histórias de bobos, bocós, burraldos e paspalhões", da Editora Projeto, é uma das quatro histórias contadas no filme "Pequenas histórias", de Helvécio Ratton, que estreou em Porto Alegre no dia 18 de julho.
Para saber mais sobre o filme: http://pequenashistorias.com.br./

terça-feira, 22 de julho de 2008

Bom descanso, professores(as)!

Vamos nos permitir aos pequenos prazeres e aproveitar para curtir a vida.


Algumas sugestões:

  1. Dormir, dormir e dormir - Como diz nossa colega Margarete, que mora em Guaíba, poderemos acordar em um horário decente. Com certeza, nossa pele agradecerá.

  2. Cozinhar . A sugestão é o prato que foi aprovado por todos na festa dos aniversariantes do semestre na Escola, Cuscuz Paulista (à moda Carla Cristina). Receita depois das sugestões.

  3. Curtir um bom filme. Que tal um suspense dos bons: " O Orfanato" (100 minuto, lançamento 2007 , México / Espanha, direção: Juan Antonio Bayona.)
    Ou quem sabe um bom drama: " Coisas que perdemos pelo caminho." 2007, com Halle Berry, que faz o papel de uma recém-viúva, mãe de dois filhos, que aproxima-se de Jerry (Benicio Del Toro), melhor amigo de seu falecido marido, e recebe o apoio que precisava para se reerguer. Ele passa a morar em sua casa e juntos irão aprender a conviver com a perda e outras dificuldades da vida.

  4. Conversar com os amigos sem olhar para o relógio.

  5. Ler um bom livro.

  6. Caminhar, entrar em contato com a natureza, passear no parque mais próximo da sua casa.

  7. Fazer uma faxina para abrir espaço na casa e na vida. Essencial para circular a energia no ambiente onde vivemos. (A Wal que o diga está de mudança)

  8. Brincar com os/as filhos(as) e passear com eles/as.

  9. Jogar (paciência, cartas, jogos on-line....).

  10. Comer uma receita de brigadeiro sozinha ou comprar um pote de sorvete e acabar com ele.

  11. Tomar um bom vinho.(Cris, espero que Canela/Gramado estejam ótimos neste período)

  12. Ouvir música. Que tal a sugestão da Vandira, uma música com a letra do nosso escritor adotado Celso Gudfreind: "Saint Denis Ceará" .
  13. Fazer a viagem dos sonhos (aproveita Zubaran!).

  14. Simplesmente ficar esparramado no sofá de casa sem fazer nada.

Receita: Cuscuz Paulista (à moda Carla Cristina)

3 latas de sardinha – reservar 1 lata para decorar-(no óleo)

1 lata de ervilha (escorrida)

1 vidro pequeno de palmito (cortado)

1 vidro de azeitonas fatiadas

1 cebola grande picada

1 lata de extrato de tomate ou 1 quilo de tomates bem maduros (Deixar um para decoração)

sal, pimenta vermelha à gosto (molho ou picada)

1 concha de azeite

1 pacote de farinha de milho amarela ou branca (flocos)

½ maço de cheiro verde

3 ovos ( deixar um para decoração)

Modo de preparo: Colocar um pouco de azeite em uma panela grande junto com a cebola picada e fritar. Se for fazer o molho com tomates deixar apurar bem para, então, juntar os temperos. Se for fazer com extrato de tomate colocar água e deixar apurar um pouco.Acrescentar ao molho, depois de fervido (apurado), o sal, a concha de azeite, a ervilha, o palmito, a pimenta e por último a sardinha (um pouco cortada) e os ovos picados. Deixar ferver mais um pouco.Ir acrescentado o cheiro verde e aos poucos, sempre mexendo, a farinha de milho até dar o ponto que dê para desenformar depois de frio. Não esquecer de decorar antes de colocar a massa e untar a forma com o óleo.

Bom apetite!!!

sexta-feira, 18 de julho de 2008

O Caçador de histórias

As últimas histórias que contamos para as turmas B20 e B30, antes do recesso escolar, foram retiradas do livro “ O caçador de histórias”, de Yaguarê Yamã, FNDE/2006.
O escritor do livro é indígena da nação Mawé, que tem seu território na fronteira dos estados do Amazonas e do Pará. Ele faz um resgate das histórias que ouvia quando era criança, impedindo assim que as narrativas se percam ou fiquem esquecidas com a morte dos mais velhos de sua tribo. Ele lembra das noites enluaradas na aldeia, e como as crianças indígenas, como qualquer criança do mundo, se divertem ouvindo histórias de aventura e de medo. Do livro retirei
duas histórias arrepiantes para ler e contar:“O fígado do diabo” e “O fantasma da casa abandonada”.

Os alunos também conheceram o livro “O mais assustador do folclore - monstros da mitologia brasileira” de Luciana Garcia, olharam as ilustrações dos principais monstros brasileiros e pouco conhecidos aqui no sul: Mapinguari, Jurupari, Gorjala, Quibundo, Tutu, Pisadeira, entre outros.


quarta-feira, 16 de julho de 2008

A Revolução do Consumo

Luis Oscar - Prof da EMEF Morro da Cruz

Olá Pessoal...estou colocando um vídeo sobre o consumo ético e solidário...acho que ele nos possibilita um referencial para discutirmos um possível planejamento social/político/pedagógico na comunidade do Morro da Cruz...

video

terça-feira, 15 de julho de 2008

Ministério Público e Movimentos Sociais

Luis Oscar - Prof. da EMEF Morro da Cruz

Olá Pessoal...repasso aqui as informações que não saíram no PIG sobre o MP/RS e sua revolta contra os movimentos populares...em tempo: movimentos populares são manifestações públicas e civis por alguma reivindicação social, econômica, cultural, etc... extremamente legitima nas democracias republicanas como o BRASIL...


Fábio Konder Comparato, professor titular aposentado da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, enviou a seguinte mensagem ao Procurador-Geral de Justiça do Estado do RS, Mauro Renner:

“Tomei conhecimento, estarrecido, de que o Ministério Público do Estado pretende ingressar com ação judicial para obter a dissolução do MST. Aflige-me verificar que essa ilustre instituição, ao invés de abrir um inquérito civil público para apurar os atos de corrupção e de improbidade administrativa, que teriam ocorrido na esfera máxima do governo estadual, segundo ampla divulgação dada pelos meios de comunicação, prefira cerrar fileiras em defesa dos interesses de latifundiários e empresas transnacionais de agronegócio, com manifesto desprezo pelos direitos fundamentais declarados em nossa Constituição”.



Corrupção no Governo Yeda

Luis Oscar - Prof. da Escola Morro da Cruz
Olá pessoal, venho contribuir com o blog , começando pela corrupção no DETRAN, Governo do Estado. Para quem ainda não sabe, o DETRAN é um ógão público do Governo do Estado e que está sob investigação e denúncia de corrupção no Governo de Yeda, assim como ela, a própria governadora está sob grave suspeita de corrupção. Para ter uma leitura acima dos meios de comunicação dominados pelas elites ( Diário Gaúcho, Zero Hora, TVCOM, RBSTV, etc) convém ler os sites, diariamente:
www.rsurgente.net
www.cartamaior.com.br
www.revistaforum.com.br
www.paulohenriqueamorim.com.br
www.cartacapital.com.br

Estes sites podem nos possibilitar a termos uma alternativa de leitura e entendimento dos fatos noticiados pelo PIG (Partido da Imprensa Golpista) , um outro olhar sobre as noticias da VEJA, ISTO É, FOLHA DE SÃO PAULO, ESTADO DE SÃO PAULO, O GLOBO, etc, etc, etc...claro néee gente sem falar na RBS que SÓ REPRODUZ O QUE AS ELITES QUEREM ...

domingo, 13 de julho de 2008

13 de Julho aniversário do Estatuto da Criança e do Adolescente

Trechos retirados do site: www.terra.com.br

Em 18 anos, ECA reduziu mortes e ampliou Educação
Laryssa Borges

O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), que atinge sua "maioridade" neste domingo, ao completar 18 anos, conseguiu nesse período, a partir da exigência de políticas públicas voltadas à juventude, reduzir em 45% a taxa de mortalidade infantil e ampliar para 98% o índice de acesso à educação pública. Em contrapartida ainda não foi capaz de minimizar a falta de atuação do poder público e tem sido acusado de proteger menores delinqüentes e prever regras de universalização de benfeitorias dificilmente aplicáveis em países em desenvolvimento, como o Brasil.
(...)
Para o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, o ECA representa um conjunto de normas "de natureza protetiva e preventiva", adotado em substituição ao "autoritário e centralizador" Código de Menores. Editada na década de 1970, essa legislação, explica Mendes, "resumia-se a segregar menores em situação irregular com base na ideologia de punir por punir seus carentes e abandonados".
É inquestionável que 18 anos é insuficiente para implementar algumas dificuldades. A população de crianças e adolescentes é muito grande, são 62 milhões delas, o que representa a população total de um país europeu. É a maior população infantil das Américas, e nós no Brasil temos uma história secular de desigualdades", avalia.
(...)
ECA: 16 mil cumprem medidas sócio-educativas
Laryssa Borges
Ao completar 18 anos de criação, o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) comemora avanços nas áreas de saúde e educação, mas ainda amarga críticas por não ter conseguido reverter as cifras de 80 mil crianças vivendo em abrigos e outras 16 mil cumprindo medidas sócio-educativas.
(...)

Maioridade: governo alerta para intervenção da ONU
Laryssa Borges
A eventual decisão do Congresso Nacional de reduzir a maioridade penal de 18 para 16 anos poderia provocar uma intervenção da Organização das Nações Unidas (ONU), alerta a subsecretária de Direitos da Criança e do Adolescente da Secretaria Especial de Direitos Humanos, Carmen Oliveira. Aprovado pela Câmara dos Deputados a toque de caixa após a morte do menino João Hélio Vieites, arrastado pelo cinto de segurança durante um suposto assalto em 2007, o projeto que prevê a redução da imputabilidade penal aguarda votação pelo plenário do Senado.
(...)
Redação Terra.

sexta-feira, 11 de julho de 2008

Notícias dos Contadores de histórias da Escola:

N
o dia 04 de junho, os alunos da nossa Escola, do grupo de Contadores, apresentaram-se na Escola Municipal de Educação Infantil Walter Silber,
com as seguintes histórias: "Você troca?” , “ Eu morro de medo de bicho” e “Rita, a aranha esquisita.” As crianças da Educação Infantil, gostaram muito da apresentação, a tal ponto que o grupo de contadores, foi convidado para retornarem com novas histórias.
Os Contadores continuam apresentando-se na nossa Escola, para as turmas do I e II ciclo (B10), com os seguintes textos dos livros:
- "Assim Assado" e "Não confunda" de Eva Furnari, "Festa no Céu" de Ângela Lago, "Pedro e Tina" de Stephen Michael King.


Veja as fotos da apresentação na Escola Infantil Walter Silber:







segunda-feira, 7 de julho de 2008

Reproduzo abaixo as notícias que saíram em relação a nossa Escola na mídia na semana passada.
Polícia 01/07/2008 18h32min
Onda de violência em escola preocupa moradores do Morro da Cruz
Grupos traficam drogas, brigam e ameaçam professores e alunos na região
A Escola Municipal Morro da Cruz, localizada na Rua Santa Tereza, no bairro Partenon, em Porto Alegre, vem sendo alvo de todo tipo de violência desde o ano passado, segundo moradores da região, que preferem não se identificar. O estabelecimento atende atualmente 1,21 mil alunos do Ensino Fundamental. Conforme as denúncias, grupos de adolescentes formados por alunos e outros jovens se concentram em frente ao local para promover livremente tráfico de drogas, brigas e ameaças contra professores e alunos. Apesar da onda de violência, a 19ª Delegacia de Polícia, que atende o Morro da Cruz, registra poucas ocorrências sobre o caso. Segundo o delegado Ajaribe Rocha Pinto, as pessoas envolvidas têm medo de fazer denúncias, o que dificulta o trabalho da polícia. A prefeitura informou que o caso já é conhecido e que a Secretaria Municipal de Segurança e Direitos Humanos prepara uma série de projetos para tentar tirar os adolescentes da frente da escola e incluir os jovens em atividades socioeducativas.
RÁDIO GAÚCHA

CORREIO DO POVO
PORTO ALEGRE, QUARTA-FEIRA, 2 DE JULHO DE 2008
Escola vira alvo de gangues
Moradores da zona Leste da Capital estão assustados com a violência. A Escola Municipal Morro da Cruz, no Partenon, é alvo de gangues que traficam drogas, promovem brigas e ameaçam professores e alunos em frente ao prédio. Muros e vidraças da instituição são constantemente depredados.

Comentário:

(De uma professora que ainda sonha com uma imprensa que respeite as fronteiras da verdade e espera que os Meios de Comunicação Social não saiam por aí (como faz) dizendo bobagens, inverdades, espalhando preconceitos e reproduzindo idéias simplificadas, e que não colaboram em nada com a construção de uma sociedade melhor).

- Foi “ótimo descobrir" como as matérias e notícias são construídas. A notícia acima, (da rádio Gaúcha) foi elaborada a partir de um e-mail anônimo, e a matéria do Correio a partir da notícia veiculada pela rádio, e ambos não buscaram, em um primeiro momento, ouvir a direção ou a comunidade da Escola.
Pouco importa se o fato narrado é verdade ou mentira, se está parcialmente correto ou incorreto, ou se existem outros pontos de vistas.
Depois da notícia da rádio Gaúcha se espalhar, a Direção da escola, foi procurada por diversos Meios de Comunicação (tv, rádio e jornais). Quando estes foram informados que o que foi relatado no e-mail “não era bem assim”, e ao perceberem que a Escola não tinha professores machucados, que a depredação que acontece não é organizada e nem sistemática (ela acontece, mas de forma desorganizada, não intensiva e há algum tempo), perdeu-se rapidamente o interesse em noticiar e em refletir o que vem acontecendo nas nossas Escolas (sim, esse é um problema de muitas Escolas).

Sobre a notícia:
- Sim, existem situações conflituosas, originadas dentro de sala de aula, corredores e recreios. Temos situações de conflitos entre alunos e entre alunos e professores que se procura resolver no espaço da escola com a intervenção dos professores/direção e quando necessário com o chamamento dos responsáveis. Em situações mais graves são encaminhados ao CT ou ao DECA os envolvidos.

- Sim, temos alunos que matam aula (você nunca matou aula? / É só na Escola do Morro da Cruz que os alunos matam aula?);

- Sim, temos alunos que se reúnem com outros nas esquinas (faltam atividades e espaços para a garotada em turno inverso ao da Escola, muitos pais trabalham o dia inteiro e as crianças e jovens ficam sozinhos e sem o acompanhamento de um adulto durante o turno inverso da Escola).
-Sim, a Escola já foi pichada, não há nada novo, mas vem diminuindo.
-Sim, na comunidade há adolescentes e crianças que jogam pedras na Escola, isto não é de agora. Não encaro isto, como uma ameaça ao meu trabalho como professor, mas vejo como uma forma dos jovens chamarem atenção para si. Sim, isto é perigoso, pode machucar, e é urgente coibir estes atos.
Mas, é necessário dizer que a Escola vem fazendo um trabalho muito positivo, participa do Cidade Escola (programa que prevê o oferecimento de diversas atividades em turno inverso aos seus alunos) e participa do programa Escola Aberta (aos finais de semana a escola oferece atividade para toda a comunidade).
A Escola está organizando o seu Projeto Político Pedagógico e uma nova pesquisa com a comunidade.
A Escola está inserida em uma comunidade que buscou no Orçamento Participativo a sua construção, uma comunidade que se organiza e busca alternativas. Mas, essa comunidade não difere de muitas outras, não está isolada e faz parte de uma sociedade violenta, onde muitos jovens estão sem perspectiva, são oriundos de famílias com baixa remuneração (+ ou – 300 alunos recebem bolsa família na nossa Escola), existem muitas famílias desorganizadas, em uma comunidade bastante matriarcal e com poucos espaços de cultura e lazer.

Desafio da Sociedade:
O quê o Estado e a Sociedade irão fazer para alcançar estes jovens e levá-los a condição de Cidadãos? Como conseguir com que essa juventude não se torne cada vez mais segregada e não use a violência ou a prática de atos ilegais como um estilo de vida?
Como iremos dar conta desse desafio?
A Escola é uma instituição importante, mas um Projeto Educacional eficaz para lidar com esses jovens, não deve envolver apenas uma Escola ou as Escolas no geral é preciso envolver todos: Sociedade e Estado, ou não conseguiremos dar conta desse desafio.

domingo, 6 de julho de 2008

Escritora destaque do mês de junho:

Clarice Lispector

Nossa pergunta do blog no mês de junho, foi sobre quem escreveu o livro "A hora da estrela" nossa intenção foi de destacarmos a escritora Clarice Lispector.


Clarice Lispector, foi amiga da escritora que escolhemos como destaque do blog em maio, Lygia Fagundes Telles.
Lygia, no livro "Histórias de Mistério, nos conta em "Onde estiveste de noite?" como ficou sabendo da morte de sua amiga Clarice. Vale a pena ler e se emocionar em relação a amizade das duas escritoras, e em como Lygia descobriu e encarou a morte da amiga.
Semana passada, recebemos o livro "O vôo supersônico da galinha Galatéia", de Cláudio Fragata, do FNDE/2008, na introdução o autor se refere a uma das histórias de Clarice " A vida íntima de Laura".
Laura é o nome da galinha da história e no final Clarice escreve "Se você conhece alguma história de galinha, quero saber. Ou invente uma bem boazinha e me conte".

Cláudio Fragata, conta que Caio Fernando Abreu, inventou uma história de galinha, e quis contar para Clarice, mesmo ela já tendo morrido, escreveu o livro "As frangas". Caio Fernando de Abreu e Cláudio eram amigos. Caio incentivou o Cláudio a escrever uma história de galinha para Clarice.

Caio morreu e anos depois, incentivado pela amiga Fanny Abramovich, Cláudio escreveu " O vôo supersônico da galinha Galatéia."

Segundo, Cláudio agora é a vez da Fanny, escrever uma história de galinha para a Clarice e o Caio.

Clarice é uma das maiores escritores do nosso país, escreveu lindas histórias, e foi escolhida por nós, para ser homenageada no blog, pela sua riqueza e singularidade, na sua obra e na sua vida.

Os livros citados acima, estão disponíveis na biblioteca.

Clarice Lispector:

Clarice Lispector, nasceu em 10/12/1920, na Ucrânia, e faleceu, em 9/12/1977, no Rio de Janeiro. De família judaica, seu nascimento ocorreu durante a viagem de emigração da família ao continente Americano. Aportaram no Brasil quando tinha pouco mais de um ano de idade. A família chegou a Maceió, em 1922, Clarice Lispector começou a escrever logo que aprendeu a ler, na cidade de Recife.

Em 1944 publicou seu primeiro romance, Perto do coração selvagem. A literatura brasileira era nesta altura dominada por uma tendência essencialmente regionalista, com personagens contando a difícil realidade social do país na época. Clarice Lispector surpreendeu a crítica com seu romance, seja pela problemática de caráter existencial, completamente inovadora, seja pelo estilo solto elíptico, e fragmentário.

Seu romance mais famoso talvez seja A hora da estrela, o último publicado antes de sua morte. Este livro narra a vida de Macabéa, uma nordestina criada no estado de Alagoas que migra para o Rio de Janeiro, e vai morar em uma pensão.

Alguns dos seus livros:

Romance

Conto

Literatura infantil

Fonte: Wikipédia (internet) e outros livros.

quarta-feira, 2 de julho de 2008

Prepare-se para o mês:

Calendário da Escola para Julho

05/07- (sábado) formação dos professores.

10/07- (quinta-feira) Sarau de Poesia.

19/07- Sábado Integrador - Meio Ambiente.

20/07 a 03/08- Recesso Escolar.

II- Sugestão de livros da biblioteca (mês de Junho):
Aqui, você encontra comentários breves, de livros interessantes que estão disponíveis na biblioteca.

Infantil:
"As coisas que a gente fala" de Ruth Rocha.

As palavras podem ser cortantes como um fio de uma navalha ou suave como um toque de pena, podem machucar, ferir, alegrar, acalentar...... É isto, que Ruth Rocha conta nesta história, de forma humorada, descomplicada e poética ensina as crianças a força que as palavras podem ter. Leia um trecho do livro:
"As coisas que a gente fala
saem da boca da gente
e vão voando, voando,
correndo sempre pra frente.
Entrando pelos ouvidos
de quem estiver presente."

Pré/adolescente:

"Contos de Encantos, Seduções e Outros quebrantos" de Rogério Andrade Barbosa.

Sempre gostei de ler e contar histórias para meus alunos(as). Mas, neste meu primeiro ano como professora na biblioteca, estou sendo obrigada (diga-se de passagem com muito prazer) a ler muito mais livros infanto-juvenis, para poder indicar, contar e ler histórias interessantes e prazerosas. E um livro que encontrei na biblioteca "Contos de Encantos, Seduções e Outros quebrantos" me remeteu a minha infância, me fazendo lembrar que algumas vezes, à noite, à luz de velas, na zona rural, eu já tinha ouvido algumas dessas histórias. E elas, na época me assombravam e me arrepiavam, fazendo com que ao deitar para dormir, qualquer barulhinho na casa, disparasse meu coração de susto.
Então, não poderia deixar de contar aos alunos (as) dois desses causos, que ouvi na minha infância, que vêm da cultura oral e que povoam a nossa terra. Hoje, estes causos, recebem o nome de Lendas Urbanas, os alunos me contaram que um programa de domingo, está apresentando estas histórias. As duas histórias, já minhas conhecidas (com uma versão um pouco diferente), e que escolhi para contar para os alunos foram: "Quem disse que lobisomem não existe? e À noite, evite portas de cemitérios!"


Coleção:

"Violência, não!" de: Sylvie Girardet e Puig Rosado



Coleção de 6 fábulas, com muito humor, colabora na reflexão de questões importantes, como a ética, o respeito, a convivência em sociedade. As histórias apresentam diversas hipóteses de soluções para o problema proposto e ainda convida que os adultos e as crianças conversem sobre o assunto.
















Adulto:
"Perto do coração selvagem" de Clarice Lispectort

Perto do coração selvagem, é o romance de estréia de Clarice Lispector, e já percebemos o seu enorme talento para construir narrativas introspectivas e em descrever sentimentos de um jeito só seu. É fascinante como ela escreve e nos envolve, levando-nos a perceber a complexidade interior da nossa existência, e a pensar como estamos longe de nosso autoconhecimento.
"(...)Era sempre inútil ter sido feliz ou infeliz. E mesmo ter amado. Nenhuma felicidade ou infelicidade tinha sido tão forte que tivesse transformado os elementos de sua matéria, dando-lhe um caminho único, como deve ser o verdadeiro caminho. Continuo sempre inaugurando, abrindo e fechando círculos de vida, jogando-os de lado, murchos, cheios de passado. Por que tão independente, por que não se fundem num só bloco, servindo-me de lastro?" (trecho do livro)